quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

Não há motivos....


Não adianta falar de motivos
Porque simplesmente não há motivos
Nem adianta falar de culpas, porque culpados somos os dois
Não há medida exata para a nossa precentagem de incuria
Tu foste,eu fui, nós fomos desleixados
Quando o tempo ainda era azul, e eu te olhava nos olhos e tudo o que eu via eram horizontes de amor
Tudo passou, e hoje nada mais vejo que desmamamento de afectos
Na penumbra da noite vejo-te a sombra, e assusto-me
Já não tenho vontade de me deleitar nos teus seios, nem de beber o elixir de vida que emanava da tua pele
Já não sinto os arrepios que abalavam o meu corpo por dentro, na sensação do teu beijo
Queria poder dizer-te....desculpa amor.
Mas que culpa eu tenho, se fomos os dois que erramos
Sou um cato no deserto, na cegueira agreste do sol escaldante
Não vejo um oasís para saciar a minha cede, como as coisas mudam...outrora o meu oasís eras tu!
Hoje és a areia seca que me fustiga o rosto, rasgando-me os sentidos expondo as minhas entranhas
Não há motivos, não falemos de motivos
O que me deste já vale por uma eternidade de desassossego
Como ramos de mim, numa árvore que seca aos poucos, não vou  insistir neste solo
Vou agradecer-te sempre, por teres feito crescer a minha árvore
Há coisas que valem a pena! E tu valeste a pena!
Mas a força das minhas raízes a mim pertence...sou eu quem decide, se fico ou vou embora
E quando atravessar a soleira da nossa porta...acredita que olharei para trás, não com pena do que deixo
Mas com a certeza que não quero voltar
Errar todos erramos, mas é com os erros que aprendemos, é com eles que nos levantamos
E eu vou levantar-me,   acredita que jamais te julgarei, nunca lamentarei os anos que vivi contigo
Nunca me esquecerei de ti, mas garanto-te que nunca mais vou deixar de ser EU
Não tenhas pena de mim.....Necessito caminhar sozinho, necessito reaprender a andar
Perdi todas as minhas faculdades, entregando-me inteiramente a ti. Erro crasso!
Nunca deveria dar-me todo...hoje preciso de me reconstruir aos poucos, ainda que eu saiba que nunca mais serei completo, pois em ti ficará para sempre parte de mim.
Sem mágoas, nem rancores, sigo o meu caminho,convicto de que ao virar a esquina do tempo, o tempo irá ter tempo para mim.
Não prometo esquecer-te, porque jamais se esquece alguém que fica com parte de nós
Passarei por ti e lembrar-me-ei que em ti um dia eu fui feliz.
E direi baixinho...valeu a pena!

R.M.Cruz

(conversas reais de corações que se erguem)



segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

Quando te amo cega....



Os olhos deveriam ser cegos
Tem gente que ama com os olhos da carne
Olhos que procuram a beleza exterior, sem nunca terem a capacidade de chegar mais fundo
Olhos que julgam....Que matam!
Olhos que contemplam sem sentir
Olhos que olham sem ver
Tudo ao redor é vento ateando o fogo nas folhas secas da vida
Tudo ao redor é passageiro, é passo dado na folhagem ardida
É monstro envaidecido julgando-se um colibri
É espelho de dupla face, enganando a verdade de uma morte anunciada
É deserto em minhas mãos, é sol cru, abrindo gretas na boca seca
São lanhos profundos num coração que diz sentir o golpe fatal de um amor traiçoeiro
Engane-se quem pensa que o amor é traição, o amor é pena suspensa de alguém que o esconde
Engane-se quem julga por tudo e por nada, tornando seu alibi o amor....não, o amor não serve de testemunha para ninguém.Ele acontece nos corações nus
Ele nasce... ele dá-se...ele entrega-se...ele vive...ele sente....ele É!
O amor é estrutura para todas as fases da vida, é alicerce de prontidão, é regeneração!
O amor não está em nada...o amor está em tudo!
Ai quem me dera ser cega...cega no sentir, cega por dentro da alma
Cega de tudo o que é blasfémico, sombrio, destrutivo, maquiavélico
Cega do meu próprio ego, em que me elevo nas costas do amor...o amor não deveria ser escada para subir, mas sim para descer....Descer ao fundo da alma, onde é realmente a sua morada
Não é justo, blasfemar contra o amor....como se ele fosse o culpado da guerra na terra e na alma da gente
Eu não sei destinguir a minha face da tua quando te amo cega
Eu não sei onde começam os teus braços e acabam os meus, quando te amo cega
Eu não sei de que sou feita, se eu de ti... ou tu de mim....Quando te amo cega
Quem me dera ser  permanentemente cega por dentro de mim....cegueira grandiosa que junta o meu bem querer, ao teu querer-me bem
O amor é luz que brilha de dentro para fora
Assim és tu em mim quando te amo cega!

R.M.Cruz    (foto google)





terça-feira, 20 de janeiro de 2015

Só os loucos

Só os loucos amam intensamente
Só os loucos conhecem a cegueira da paixão
Só os loucos arriscam a sanidade perfeita por uma um amor tresloucado
Este sentimentalismo é como uma droga que me consome
Finda a droga,volta a ressaca
Esta ressaca que me leva a outros mundos ainda mais loucos
Não serei eu já um moribundo da minha própria loucura
Eis o meu estado de profunda dor
Que importa que o sol se deite no Horizonte e crie o mais belo quadro da Natureza
Foi lindo e admiravél, quando o viamos juntos, agora não passa de mais uma noite de solidão que se aproxima para me roer as entranhas.
E o beijo da manhã? Em quem o semeio, se o sulco dos teus lábios levaste contigo
Em quem deito a minha alma, quando cansada dos dias de lucidez?
Para onde levaste o colo, em que eu me refugiava, enquanto os teus dedos percorriam o meu cabelo?
Que importa a musica, se não a danças comigo, ainda sinto o calor do teu corpo em todas as voltas que dou.
Mas hoje renego a melodia, provoca-me  um sentimento contrário,arranca de dentro de mim, coisas que eu quero matar.
As almofadas têm o teu cheiro, enterro-me nelas, pudesse eu ficar ali eternamente, mas o corpo é inimigo do sentimento e arranca-me enchendo-me os pulmões de ar.
 Só os loucos amam até à exaustão e acima dela.
Eu percorro as paredes do nosso quarto, tentando encontrar uma pista do meu desleixe
O que aconteceu para que fosses embora? Acaso te saturaste da minha loucura?
E eu que pensei que eramos ambos loucos.
Porque é que quando amamos, o amor não tem a mesma medida?
Que faço agora com os sonhos a dois? 
Malditos sonhos que não passam disso mesmo...de sonhos
Não te culpo, a culpa é minha, porque resisti a um amor que não tinha resistência
Estou em ressaca
Só tu me podes salvar desta loucura, deste sentimento, que de luz se tornou trevas
Vai dentro de ti, e procura uma réstia de amor, torna-te a salvadora do meu mundo
Não me deixes sufocar na minha própria loucura.....
Se não vieres..... voltarei de novo `à lucidez...serei oco, sombrio frio
Não estará já a terra cheia de frieza?

R.M.Cruz
                         (foto Google)
 ( inspirações, que não passam de verdadeiras histórias )



quinta-feira, 8 de janeiro de 2015

Amor eterno


E  amor que em mim mora, não saberá o caminho do pó
Porque em pó me tornarei
Mas a terra não suporta amor....não é possivel leva-lo comigo
Não te esqueças de mim....deixa-me continuar viva nos teus olhos
Não faças como a arvore, que deixa cair as folhas ao abandono do vento
O amor que em mim vive, não pode ficar orfão
Adota-o como se fosse teu
Eu nunca te disse..... mas na realidade é teu!
Aconchega-o ao teu peito, sente-o verás que me sentes
Não me esqueças, deixa-me viver em ti...através do meu amor
Leva-o contigo para onde fores
Ele será a tua luz, quando as sombras te perseguirem
Será o teu farol em alto mar, quando te sentires á deriva
Será a tua bussula de orientação nos dias de nevoeiro
Será a tua memória, no labirinto do esquecimento
Quando achares que estás só....ele amor projetará a  minha imagem
Não serei corpo, mas serei luz
Não te esqueças de mim...deixa-me continuar viva nos teus dedos
Deixa-me brincar como se fosse ontem
Sobe ao sotão....e vê como ainda há vida...escuta e me ouvirás cantar
Em cada canto há pedaços de mim...em cada degrau há o som do meu arfar
Em cada janela há vestigios do meu cabelo
Cada objecto tem as minhas impressões digitais
E no teu corpo ainda há o cheiro do meu perfume
Na ausência da matéria....sente-me porque eu estarei contigo
Ainda que outro corpo preencha o meu lugar vazio
E um novo prefume se confunda com o meu
Não me deixes morrer em ti...abraça-a como se eu estivesse aí
Acredita que estou...serei poesia por toda a casa
Quando as forças te abandonarem...e os teus olhos já não me virem
Eo teu corpo descer ao pó...não tenhas medo
Eleva o teu coração ás estrelas.....o meu amor te guiará até a mim
E juntos seremos a maior estrela do firmamento
A nossa luz será tão intensa, que o infinito jamais viverá nas trevas

 R.M.Cruz 
(imagem google)



quinta-feira, 1 de janeiro de 2015

BOM ANO 2015

E veio ele.... pé ante pé, entrou  assim devagarinho
Trazendo,amor e fé....entrou cantarolando baixinho
Chegou com o Sol a brilhar, muita luz muita verdade
Com calor veio abraçar, e aquecer a HUMANIDADE
Sussurrou-me ao ouvido....e disse-me: põe-te de pé!
Olha bem pró que te digo.....quem te avisa amigo É
Lavemos os corações,para uma entrada triunfante
Preparemos as ações, para um reinar contagiante
Porque, não é só o ano que muda....algo em NÓS, tem que mudar
Se houver entreajuda...todo o coração vai brilhar
Ergamos a taça da VIDA....brindemos à liberdade
Mandemos a tristeza embora para entrar a felicidade
Nada de péssimismo.... pensamento traiçoeiro
Viva o optimismo....que dura para o ano inteiro
Não é dificil viver....basta estar atento e pensar
Estar sempre a aprender....o tempo do verbo AMAR
Não esquecendo porem....o respeito e a lealdade
Que todo o ser humano tem...SÊ inteiro SÊ de verdade
Se o mundo não te entende,porque vais na outra margem
Não te importes,continua.....FELIZ de quem tem coragem
Mesmo que te apontem o dedo, e te sintas observado
É bom caminhar sem medo....seguindo por outro lado
Se te sentes descriminado....num mundo que é disléxico
Ama muito e sê amado....porque os ANJOS não têm sexo
O preconceito existe....respira e vai com calma
Sejas negro ou sejas branco....o que conta é a cor da ALMA
Vive atento e não te iludas...caminha e vai adiante
Não cries expectativas....o ser HUMANO é errante
Cuidado com injustiças...não finjas que não te importa
Tão ladrão é o que rouba, como o que  fica na porta
O conforto é coisa boa...deves tê-lo, pois então!
Com trabalho e sabedoria....não desperdices um tostão
Há muita gente faminta,sem roupa sem comida sem lar
Há tanta pessoa bonita.... que se suja a esbanjar
O equilibrio começa, dentro de um bom coração
Ao partilhar o que temos...ao ajudar um IRMÃO
Não te julgues o maior...não digas:eu é que sei!
Qualquer grande também cai....qualquer pequeno é rei
Honra o Pai e a Mãe ,um mandamento dos céus
Porque se assim o fizeres.....estás mais perto de DEUS
Foram estes os conselhos....que o novo ano me veio dar
Sejamos novos ou velhos....o que importa é actuar
Bom ano 2015....felizes para VIVER
Tantos que já partiram.....sem o ano conhecer

( a brincar com a rima, em verdades que devemos adicionar à nossa existência)
R.M.Cruz