quinta-feira, 26 de março de 2015

Tenho em mim......................

Tenho em mim todas as moradas
Albergo em mim, segredos e medos
Sou terra agreste, sou solo seco
 Sou deserto
Sou velha cansada na soleira da porta
Sou filho que não volta
Sou pássaro livre, sem poiso nem ninho
Sou amarra que prende, sou jaula de carcereiro
Sou luz
Sou virgem, sou janela, sou infinito
Sou grito
Sou universo, sou beijo,sou tropeço,sou escarnio
Sou desejo
Sou abraço, sou cobra, sou berço,sou desilusão
Sou regeneração
Sou o mal dos meus dias, sou alegrias
Sou a faca que corta, sou a nudez
Sou altivez
Sou a alma que chora, sou o bebe que nasce
Sou rio
Sou sol na madrugada
Sou fonte seca
Sou estilhaço de arma, sou terra agreste
Sou flor, sou inferno
Sou silêncio e lamento
Sou brisa, sou fogo destruidor, sou orgasmo
Sou amor
Sou dor, e cansaço, sou colo
Sou vaso que quebra, sou ferro que não verga
Sou veneno, sou cura, sou besta, sou criança pura
Sou liberdade
Sou saudade
Sou novelo de sonhos, sou sujeito, sou nuvem que passa
Sou vidraça
Sou assombro na noite escura, sou castelo de areia
Sou lua cheia
Sou mendigo, sou solidão,sou morte,sou eternidade
Sou sorte
Sou folha seca, sou arvore de fruto, sou luto
Sou escravidão, sou pão, sou preconceito
Sou leito
Sou vida, sou azul, sou mar, sou negrume, sou sul
Sou a mão que guia, sou cegueira, sou neve que cai,sou esterco
Sou pasto verdejante,sou amante, sou seiva, sou amasso
Sou regaço
Sou sorte, sou momento
Sou corpo,sou alma, sou eternidade
Sou sentimento
Sou engodo, sou ansiedade,sou verdade
Sou animal feroz,sou atroz, sou traição
Sou gratidão
Sou femea,sou fera, sou primavera
E em tudo o que sou, nada mais seria
Se eu não fosse tudo o que sou
Mulher!

R.M.Cruz

(imagem google)







sexta-feira, 20 de março de 2015

Dei-te o melhor de mim


Quando somos jovens cabem em nós todos os sonhos do mundo
E o meu  maior sonho era um casamento perfeito, tão perfeito que me cegou
Amei-te como uma adolescente perdida...principalmente perdida de mim
No vislumbre da minha cegueira, só te via a ti
Foste como um eclipse lunar, em ti depositei toda a minha luz
E dentro de mim, mergulhou a escuridão
Nunca pensei que o amor cegava, nunca pensei que o amor nos arrancava o ser
Ser de SER! EU!
Deixei o meu ser contigo, e passei a ser TU!
A juventude só é bela pela inexistência de tempo no nosso corpo
De resto, nada mais tem de belo, a não ser a incuria da cegueira
A minha foi atroz
Senti-me por muitos anos, sem me sentir
Dei-te filhos, o melhor de mim, passei a redobrar-me em amor, amava-te a ti  e aos filhos
Hoje olho para trás e sei, que não sou exemplo de amor para ninguém
Eu estava enganada na minha forma de amar, e tu aproveitas-te bem....sempre foste um homem livre
Livre de tudo
Na minha ingenuidade, deixei-me levar para dentro de ti
De mim nada restou
A não ser estes longos anos de ausência do meu SER
Este meu viver em ti e para ti enclausurei-me no teu querer
Nunca tive olhos de ver, sentia-te feliz e isso fazia de mim uma grande mulher
Sem nunca me aperceber que deixei de me amar, que deixei de viver por mim
Deixei de pensar em mim
Deixei de ser EU
O tempo passou, e revelou o meu erro
Pena que o tempo, não me dá tempo de corrigir
Nem devolve nada, a não ser as consequências da minha cegueira
Hoje com tempo em cima do meu corpo....apenas aprendi uma coisa
Arrependimento não restitui o que foi perdido
Arrependimento não lava a alma, entope-a com culpas e lamacei-a com remorsos
Daquilo que deveria ser e não fui
Daquilo que deveria fazer e não fiz
Amar-me em primeiro lugar!
Amar o outro mais do que a nós próprios é um erro crasso
Eu sou aquela que me acompanharei até ao ultimo suspiro da minha existência
Fui desleal comigo, não me respeitei, não respeitei o meu amor próprio
Hoje sei quem sou, não sei o que fui, nem sei quem fui
Trabalhei como uma máquina, para te ajudar a criar o teu pequeno império.Hoje és rei e senhor!
Rasguei a minha carne,fui o deleite dos nossos filhos, sim a unica coisa que é nossa
Nada mais tenho de meu
A não ser este meu corpo cansado, de toda a vida que te dei
A minha luz quase se apagou...
Hoje vivo com um ténue  raio de sol
Encontrei a paz....vivo devagar, porque já não tenho pressa
Vivo o tempo que me resta, tentando perdoar-me, pelos danos que me causei
Não sei se algum dia, a minha alma terá flores, é inverno dentro de mim
Já não sei se a Primavera chega a tempo de florir o meu jardim
Estou cansada.....
Esperarei  o dia que se segue, e aceito-o como uma dádiva
Hoje amo-me, mas há amores que chegam tarde demais.
A ti, nada desejo, de ti nada quero, a ti nada devo.
Os filhos são meus por condição
Por isso hoje vivo sem cegueira


(Uma história verdadeira .Para ti (I.T. )
(imagem Google)

R.M.Cruz





sábado, 7 de março de 2015

Mulher!!!


Tu que choras em silêncio, para que os teus soluços não despertem os que dormem no teu amor
Tu que rasgas as entranhas para que a vida não se extinga da terra
Tu que suportas a agonia da violação, esgueirando-te nas margens do teu ser, procurando a luz nas colinas da escuridão.
Tu que não mostras o rosto e que vives dentro das grades  prisionais da tua própria roupagem
Tu que aguentas a força bruta e desmedida da besta que te agride e se deleita no meio das tuas pernas
Tu que és capaz de amar, mesmo depois de amar....que anulas o teu próprio querer para atenderes ao querer  de quem amas.
Tu que sofres calada a perda de um filho,esqueces-te da vida, olhando o infinito e perguntando porquê?
Tu que tens no peito dois bebedouros, de onde jorra a seiva dos homens, e acolhes o sexo que te invade até aos ossos...
Tu que  sofres a  dor atroz da mutilação,privando-te do prazer a que tens direito
Tu que bebes o vinho do esquecimento, para que as lembranças não te comam a alma
Tu que te torturas nas masmorras da beleza, para que te olhem os olhos que te admiram e te descartam
Tu que vendes prazer na praça do vicio, muitas vezes desrespeitada como ser humano
Tu que te dás por inteiro, e por inteiro te ignoram
Tu que perdeste um amor...e com ele enterraste a chave do teu coração em lealdade de um amor que morreu
Tu que esperas ansiosa a chegada do marido saciado de outra......e tudo suportas para que os filhos cresçam em equilibrio emocional
Tu que  és a outra e nunca te sentes unica, sentes na partida de um adeus, o talvez de um novo dia, numa noite interrompida a meio
Tu que tens no teu seio as fontes da vida, mas o teu utero não corresponde ao teu desejo de ser mãe
Tu que dás o primeiro passo para  que a paz  habite no mundo
Tu que ficas vigilante à cabeceira de quem já não vê a luz da vida, dobras os teus joelhos implorando ao Universo mais um pouco de fé
Tu que te vestes de negro expondo a cor que habita a tua alma, albergando no teu interior mil demónios que te devoram
Tu que concebeste um filho a dois, sonhando com  uma famila feliz, e hoje és pai e mãe, és toda a familia que te resta 
Tu que sangras na tua condição de mulher, fruto da vida e da dor, esperança de luz, em braços de amor
Tu que tomas sozinha o leme do barco da vida, na ausência do marido que foi arrancado do lar para outro País, e que  no silêncio da noite choras a falta do seu abraço
Tu que acalentas no colo o corpo de homem e lhe enxugas as lágrimas, afagando-lhe o cabelo e sussurrando-lhe ao ouvido com voz doce e meiga, como se ele fosse um menino, e lhes lambes as feridas da vida com balsamo de amor, reerguendo-o da queda
Tu que acreditas que o amor não tem sexo, e amas quem quer que seja apenas e só, pelo amor .
Tu que és dona de casa, mãe, esposa,amiga,irmã............. e ainda tens todas as profissões do mundo...................................
A ti Mulher ergo o meu clamor!

Dedico a todas as mulheres verdadeiras!!!

R.M.Cruz