sexta-feira, 27 de junho de 2014

A ti....

Tu que sentes nas costas o peso da maldade alheia 
 E que te levantas todos os dias olhando a vida de frente 
 Na esperança que a noite tenha feito amolecer os corações 
 E que a lua na sua misteriosa grandeza 
 Tenha espantado os lobos que te querem devorar 
 Tu que à noite te deitas em lençóis de lágrimas 
 E envolves o teu corpo em ti mesma 
 Tentando esconder a dor, para que ela não se alastre ao teu amor 
 E que fazes do amanhecer a alegria de uma noite mal dormida
 Tu que colocas todos os dias um sorriso de mel e um olhar cristalino 
Para que os teus filhos pensem que há felicidade em ti 
 Tu que te desdobras, em Mãe extremosa,mulher cuidadosa 
 E que à força das chicotadas da vida,consegues conservar a tua sanidade mental
 Que fazes do teu próprio corpo um muro de resistência 
 Constróis uma fortaleza na tua alma
 Para que o teu lar não seja invadido por monstros humanos
 Para ti Mulher, vai a minha gratidão 
 Porque em ti me inspiro 
 Porque em ti busco saber e força
 Para reconstruir um mundo perdido em si mesmo 
 Um mundo onde cada dia somos invadidos por noticias tenebrosas
 Para ti Mulher, vai a minha gratidão 
Por me abrires as portadas do teu coração. 
 Aplaudo-te de pé!!!!
 R.M.Cruz
 (Dedicado a uma amiga mto especial)
(imagem Google)

segunda-feira, 23 de junho de 2014

Há dias que canso

A alma o tempo não leva

Lá fora a chuva cai devagarinho...é chuva de verão
Eu fecho os olhos, e vejo-me a dançar por entre as gotas
Como se a chuva fosse o meu céu
E não houvesse chão
Como se só existisse um
Como se eu não tivesse pés....nem casa
Como se eu não fosse matéria...só sentimento
De repente o toque....o abraço...o beijo
E a chuva, passou a ser sol
E o céu passou a ser casa
E o um... passou a ser dois
E o corpo passou a ser matéria
E o sentimento passou a ser sentido
E assim entre a chuva e o sol
A vida acontece!
Eternizando-se na nossa alma
Ficando cravado na pele, como uma tatuagem
E por muito que o tempo corra, e por muito que o tempo voe
E por muitas marcas que o tempo costure nas nossas vidas
Jamais levará momentos nossos
Ainda que o nosso corpo vergue com a força do tempo
E as memórias vagueiem na mente do esquecimento
Ainda que não reconheçamos quem somos e o que fomos
Ainda que o tempo nos vargaste e nos obrigue a vacilar
Ainda que nos assalte a vida, e nos roube os corpos
O tempo pode levar a juventude.... o corpo.... a vida.... tudo!
Mas não tem o poder de levar o sentimento
Porque esse sobrevive para lá da matéria
O sentimento vive na alma
E a alma o tempo não leva
Sei que um dia dançaremos na chuva...eu e tu
A chuva será o nosso céu
E o sol não será mais casa...porque até isso o tempo levará
Mas nós seremos eternos...porque o sentimento é a nossa alma
E a chuva o nosso céu.....e lá dançaremos juntos a dança do amor
Sem tempo nem matéria....
Eu e Tu 

R.M.Cruz






sábado, 7 de junho de 2014

Que saudades de um beijo....


Que saudades de um beijo
Aquele beijo roubado....
E aquelas bochechas rosadas
De uma vergonha declarada, em cor de pétala de rosa
E o brilho no olhar...de quem quer mais, mas não diz
E gosto doce, misturando-se com o desejo da denuncia do corpo
Numa fúria contida, de largar tudo e agarrar-se á vida
Que saudades de um beijo
Aquele beijo primeiro...
Dado na mão, subindo ao pescoço e desfalecendo nos lábios,cansado da dura subida.
Mordendo o desejo, do deleite de um abraço
E no chão, deitados os corpos
 Rolando, esmagando-se sobre as folhas secas de Outono 
Com os olhos no céu, imaginando um futuro azul
Que saudades de um beijo
Aquele beijo ingenuo...
Que na desculpa de um jogo " verdade ou consequência"
A consequência, era a espera ansiosa do beijo desejado e dado á pressa
Uma consequência de um efemero momento, que mesmo efemero se lembra para sempre
Que saudades de um beijo
Aquele beijo sem tempo....
Em que o próprio tempo parava para ver
Duas bocas ainda crianças que cresciam na sublime magia de um amor adolescente
Em que o tempo não julga, e a saudade não aperta
 E os braços são berços de um amor recem nascido
E a palavra amo-te, acelera o ritmo cardíaco...com promessas de amor  verdadeiras
Que saudades de um beijo
Aquele beijo comprometedor....
Nos dedos um anel, feito de fios de Natureza
E ao pescoço um colar de flores amarelas como se fossem girassois anões
Nos cabelos despenteados, uma grinalda de flores brancas, como se fossem margaridas em miniatura
E o beijo no fim...selando um comprimisso de amor, para a vida inteira...
A vida inteira.... da candura ingénua de duas crianças
Que juram amarem-se,até serem velhinhos.

R.M.Cruz


(imagem Google)




quarta-feira, 4 de junho de 2014

Sobre os amigos...


A amizade não é
Um dado adquirido
É um pedaço de fé
No coração de um amigo

É preciso saber cuidar
Para que contem contigo
E nas costas respeitar
O bom nome de um amigo


Já dizia a minha avó
Dizia-o com toda a razão
Quem me respeita nas costas
Mora no meu coração

Na virtude da verdade
De quem nos ama,nos quer bem
É assim na amizade
O melhor que a vida tem

Ter um amigo é ter um abraço
Nas horas dificeis da vida
Mesmo que venha o cansaço
De uma noite mal dormida

As lágrimas que ele chora
Aconchega-as em teu peito
Porque vai chegar a hora
Que vais chorar do mesmo jeito

Corre a vida desalmada
Como o carteiro em despacho
Hoje és tu que estás em cima
Amanhã estarás em baixo

Porque a vida não perdoa
É uma escola de excelência
Onde a mais dura prova
É a própria experiência

Se tens um amigo
Cuida-o pela vida fora
Só ele que fica contigo
Quando todos vão embora

Não importa a sua cor
A idade a raça a religião
Não importa o fisico nem o sexo
Amigo não é decoração

Aqui fica o meu carinho
O meu abraço, a minha gratidão
Estejam longe ou perto
Estão no meu coração

E aqueles que partiram
Lá para o alto dos céus
Foram embora e sorriram
Sem nunca me dizerem adeus.

Vivo nesta felicidade
Da minha certeza infinita
Que muito a bem da amizade
Não há coisa mais bonita

( Escrever a brincar
É rir com as palavras
Quando elas saltam
Com vontade de rimar
....vivam os amigos )                               (imagem Google)

R.M.Cruz