sábado, 23 de janeiro de 2010

Reflexão...


Hoje sou o que não fui ontem
Amanhã serei o que não sou hoje
E assim nesta constante mudança
Vou passando pela vida,sem deixar que a vida passe  por mim
Vou vivendo como o tempo
Ontem fez frio...hoje chove....mas amanhã estará um lindo dia de sol
E assim vivo a vida ao segundo...o que passou não esqueço
Faz parte da minha história
As lágrimas lavam-me a alma
Os erros servem para eu aprender
Os desgostos.... para eu me tornar mais forte
As perdas..... aprendo a dar valor
A raiva....  para eu lutar
Os sonhos.... alimentam a minha  esperança
A esperança.... empurra-me para eu alcançar
Os milagres.... acontecem para eu nunca perder a fé
Os pensamentos.... nascem para eu realizar
Os sorrisos.... brotam para eu me sentir viva
A tristeza.... assola-me para eu buscar a alegria
A saudade.... faz doer,caustica a minha alma
A gratidão....faz-me compreender que a humildade é um bem maior
A consciência....prende-me à justiça
O perdão.... dá-me armas para eu vencer o ódio
A amizade....indescritível...oxigénio para a minha vida
O amor...ai o amor...esse da-me toda a magia
Para que toda a minha vida seja VIVIDA!!!
R.M. Cruz

quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

"ELA VEIO"


Ela veio serena!
Passou-te as mãos pelo rosto
Poisou em ti,como a borboleta poisa na flor
Beijou os teus cabelos
Sussurrou-te palavras doces
Cantou para ti
E tu rendeste-te ao seu encanto
Elevaste o teu espírito,e partiste com ela
E juntas,num abraço fundido
Voaram para o paraíso
Sem pressa
Sem ânsia
Sem dor
Como uma brisa
Entrou
E saiu
Deixas-te amor ao partir
E dor
Dor nos que ficaram,dor de saudade
Apenas saudade
O amor esse...ficou e transbordou no nosso coração
Em paz partiste
Em paz ficamos!!!

ADEUS MÃE ATÉ UM DIA...

segunda-feira, 18 de janeiro de 2010

PALAVRAS


Há palavras que matam,sem nos tirar a vida
Há palavras que afagam,sem sentirmos o seu toque
Há palavras que curam toda a raiva toda a ferida
Há palavras ditas,soltas,sem direcção, sem norte.
Há palavras que edificam,que nos levam mais além
Há palavras que nos derrubam,que nos tiram os sentidos
Há palavras que nos causam repugna,asco, desdém
Há palavras que nos calam,que nos abafam os gemidos


R.M.Cruz

sábado, 16 de janeiro de 2010

quinta-feira, 14 de janeiro de 2010

Tempo

O tempo passa meu amor
Os dias são cada vez mais longos e frios
Os momentos que foges e estás presente
São como uma corda ao meu pescoço, na iminência do aperto mortal
Já não consigo cheirar as rosas, o eu perfume leva-me para longe de ti
E eu não quero
Meu amor como dói a tua presença, na tua ausência
Já não sei secar as lágrimas que correm desatentadamente sem qualquer ponto de paragem
Já não sei se entro nos teus sonhos cor-de-rosa
Ou nos teus pesadelos
Meu amor
Quero-te tanto, mas não sei como fazer
Queria pegar-te ao colo,com a ternura de uma mãe
Beijar teu rosto molhado pelas lágrimas que não sei secar
Mas fico paralisado estagnado, sem reacção
Quisera eu aconchegar-te em meu peitoLlevar-te ao cimo da montanha
E lá construir o teu mundo
O mundo que tu tanto almejas
Aquele em que tu estás distante quando estás presente
Meu amor aqui tens meu corpo, meu coração,meu tudo
Mas perdoa-me pois não posso dar-te a minha alma.
Ela é o que me resta para me fazer companhia
Nos momentos em que tu te ausentas.